dezembro 2014 vol. 1 num. 5 - II Congresso Brasileiro de Medicina Hospitalar

Resumo - Open Access.

Idioma principal

Análise De Perfil Epidemiológico Das Internações Por HIV/SIDA No HCPA Em Na Última Década

Dornelles, T.O.; Morimoto, L.;

Resumo:

A infecção pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1, o HIV-1, cursa com um amplo espectro de apresentações clínicas. A disponibilidade universal e gratuita de anti- retrovirais na rede pública teve impacto notável na morbimortalidade por Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA), no aumento da sobrevida e na queda das internações hospitalares. Indicadores de gestão hospitalar são ferramentas que proporcionam informações quantitativas para descrever a realidade hospitalar. Entende-se que esses indicadores são de fundamental importância para o monitoramento e avaliação do impacto das medidas de controle do HIV/SIDA. Objetivo: Traçar uma evolução temporal dos dados epidemiológico da letalidade por HIV/SIDA no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) no período de 2003 a 2013. Método: Estudo observacional, retrospectivo. Coletamos dados referentes ao número de internações e de óbitos por faixa-etária e por gênero dos pacientes com diagnóstico principal HIV/SIDA no Sistema de Indicadores para Gestão do HCPA do período em questão. Resultados: O acompanhamento epidemiológico dos pacientes em questão mostra que o número de internações pouco se modificou, enquanto houve uma redução no número de óbitos. Em 2003, a taxa de letalidade girava em 13,27%, com número absoluto de internações de 211. Nos anos seguintes, nota-se um aumento gradual tanto no número de internações, quanto na taxa de letalidade, até 2005 quando os indicadores passam a entrar em declínio. Ao que diz respeito ao sexo, a letalidade se manteve maior no sexo masculino. Quanto a faixa etária, os pacientes entre 25 e 49 anos são os que mais internam. Percebemos que esse intervalo vem se estendendo para a população com até 59 anos, desde 2004. As maiores taxas de letalidade se concentram na população idosa, com mais de 60 anos. Conclusão: As taxas de letalidade por HIV/SIDA vem diminuindo ao longo dos anos, possivelmente, devido a maior rastreamento, que possibilita diagnóstico e tratamento precoces. O avanço do tratamento vem repercutindo positivamente na sobrevida dos pacientes infectados. O sexo masculino apresenta maior letalidade pela doença e isso pode ser correlacionado, segundo literatura, a menor taxa de diagnostico e menor adesão. O envelhecimento populacional vem aumentando as internações em faixas etárias antes pouco acometidas, sem alterar a taxa de letalidade, mostrando que os pacientes estão conseguindo sobreviver mais a doença.

Resumo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/medpro-II-cbmh-019

Referências bibliográficas
Como citar:

Dornelles, T.O.; Morimoto, L.; "Análise De Perfil Epidemiológico Das Internações Por HIV/SIDA No HCPA Em Na Última Década", p. 27 . In: . São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/medpro-II-cbmh-019

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações