Artigo - Open Access.

Idioma principal

A recusa de uma relação de determinação nas Investigações Filosóficas

Oliveira, Raphaela Silva de;

Artigo:

Pretendo expor panoramicamente, a partir da apresentação da leitura dos parágrafos 134 a 155 das Investigações Filosóficas, a problemática abordada em meu projeto de mestrado, que trata de como nos parágrafos anteriores a usual delimitação do famoso debate sobre “seguir regras”, de 192 a 242, Wittgenstein já elabora uma recusa da relação de determinação a partir na investigação do termo “verstehen” (entender). Nesse debate, Wittgenstein nos esclarece como o “uso” não está determinado pela “regra”, ou melhor, não está contida na regra a ação que eu preciso realizar: quando estou diante da regra “+2” é simplesmente uma prática em que fui treinado que me impele a segui a série “2, 4, 6, 8...”, não a própria regra. Nos parágrafos que me proponho a analisar nessa comunicação, Wittgenstein expõe como o emprego de uma proposição e a aplicação de uma fórmula não necessitam pressupor uma relação de determinação para serem entendidos. A compreensão não depende de uma regra que determine o que está contido na proposição para que eu possa pegar as expressões que tenho disponível e ajustá-las a um emprego, nem que determine a aplicação de uma fórmula de maneira que eu só possa pensar em uma aplicação particular. Para Wittgenstein, são as circunstâncias sob as quais temos uma experiência, o emprego de uma sentença ordinária ou ser guiado para seguir uma série, que garantem dizermos nesses casos que entendemos.

Artigo:

Palavras-chave: Investigações, regras, determinação,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/phipro-sofia-035

Referências bibliográficas
  • [1] WITTGENSTEIN, L. Philosophische Untersuchungen, Philosophical Investigations. 4nd ed., Oxford: Blackwell, 2009.
Como citar:

Oliveira, Raphaela Silva de; "A recusa de uma relação de determinação nas Investigações Filosóficas", p. 278-283 . In: Anais da VIII Semana de Orientação Filosófica e Acadêmica [= Blucher Philosophy Proceedings, n.1, v.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2358-6567, DOI 10.5151/phipro-sofia-035

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações