Artigo - Open Access.

Idioma principal

A CERÂMICA POPULAR BAIANA: SUAS ORIGENS E PRINCIPAIS INFLUÊNCIAS

Cunha, Celso Almeida da Silva;

Artigo:

Este trabalho busca evidenciar o desenvolvimento da Cerâmica Popular Baiana durante os séculos até chegar ao seu estágio atual. Dos primeiros habitantes de nossa terra, os indígenas, e suas bonecas, urnas e utensílios de barro queimados em fogueiras; à chegada do colonizador europeu com sua influência na técnica, nos equipamentos, na forma e na decoração; culminando no povo negro, com seu amor pelas suas entidades expressado num amor de mesma medida pelo barro, pela terra. Da efervescência deste caldeirão cultural, formador de nossa identidade, vêm a nossa cerâmica atual, arte digna e profundamente representativa de nosso povo baiano e brasileiro.

Artigo:

This paper seeks to show the development of the Bahia’s Popular Ceramics during the centuries, until reaching its current stage. The first inhabitants of our land, indigenous, and their dolls, urns and clay utensil, burned at the stake; the arrival of European settlers with their influence on technique, equipment, form and decoration; culminating in the black people, with their love expressed in equal measure by the clay and the earth. The effervescence of this cultural melting pot, forming our identity, came to our current ceramics, art worthy and deeply representative of our people of Bahia and Brazil.

Palavras-chave: Cerâmica, Artesanato, Herança, Tradição, Cultura., Ceramics, Handicraft, Heritage, Tradition, Culture.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/designpro-ped-01327

Referências bibliográficas
  • [1] SPENCER. Introduction à la science social – Chap III apud SIGHELE, Scipio. A multidão criminosa – ensaio de psicologia coletiva . Rio de Janeiro, eBooksBrasil, 2006, p. 1
  • [2] MACHADO, Clotilde de Carvalho. O Barro na Arte Popular Brasileira. Rio de Janeiro: 1977, p. 17
  • [3] OTT, Carlos. Pré-História da Bahia. Salvador, Progresso, 1958, p. 37
  • [4] Cerâmica Popular, Salvador, Instituto Mauá, 1994, p. 19
  • [5] ETCHEVARNE, Carlos. Cerâmica Popular, Salvador: 1994. p. 31: Acerca das primeiras manifestações ceramistas da Bahia
  • [6] ALMEIDA, Marlice. Cerâmica Popular, Salvador: 1994. p. 53: A obra realiza-se no momento da criação
  • [7] _____. Ensaio sobre a Feira dos Caxixis. Salvador: 2007
  • [8] _____. Cerâmica Popular Baiana: Coqueiros, Irará e Rio Real. Apresentação para o Congresso Nacional de Técnicas para as Artes do Fogo, São Bernardo do Campo, 2008
  • [9] Disponível na internet em http://pt.wiktionary.org/wiki/quizila - Acessado em 20/07/2012, às 19:55.
  • [10] Disponível na internet em http://pt.wikipedia.org/wiki/Axex%C3%AA - Acessado em 20/07/2012, às 19:58.
  • [11] Disponível na internet em http://pt.wikipedia.org/wiki/Vaso_can%C3%B3pico - Acessado em 20/07/2012, às 20:33.
  • [12] Disponível na internet em http://pt.wikipedia.org/wiki/Ex%C3%A9rcito_de_terracota - Acessado em 20/07/2012, às 20:40.
Como citar:

Cunha, Celso Almeida da Silva; "A CERÂMICA POPULAR BAIANA: SUAS ORIGENS E PRINCIPAIS INFLUÊNCIAS", p. 580-591 . In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/designpro-ped-01327

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações